Wednesday, 11 July 2007

Mulher de trinta anos


Finalmemente cheguei lá, 30 anos!
Me olho no espelho e não vejo nada de diferente. Ainda me sinto com 20...

Tá bom, tá bom, me canso muito mais rápido, tenho alguma dor nas costas e alguns pés de galinha a mais, nada q meu creminho anti-rugas não resolva.
Já tive cabelo chanel, joãozinho, comprido, loiro Xuxa, laranja Cindy Lauper...
Me preocupo mais em aproveitar o hj mas tb a esperar o amanhã com mais esperança e menos expectativa.
Vivo meus dias felizes mas não esqueço os dias tristes, eles tb fazem parte da minha história e tb me ensinam muitas lições.
Ainda fico borocochô qdo tenho q trabalhar num dia chuvoso mas nunca deixo de sorrir ao ver as plantas mais coloridas.
Tenho minhas angústias, penso se estou fazendo tudo certo mas não deixo isso ser maior q a minha vontade de ser feliz. Ainda acredito em conto de fadas e em "foram felizes para sempre"....
Sinto saudades, e muita, da minha família e dos meus amigos, mas sei q aqueles q eu amo e me amam de verdade estão sempre por perto, mesmo longe.
Perdi as contas de quantos livros eu já li ou quantas pessoas conheci mas ainda tenho alguma coisa de cada um guardada dentro de mim. Se bem q ainda lembro que meu primeiro filme no cinema foi ET e o primeiro livro q eu li foi Cartas na Mesa da Agatha Christie.
Um dia de cada vez, 10950 dias até agora...

Sou uma Balzaquiana! Sempre achei esse termo meio pejorativo...Coitado do Balzac q escreveu tão bem sobre o q é ser trintona:
"Uma mulher de trinta anos tem atrativos irresistíveis para um rapaz... Com efeito, uma jovem tem ilusões, muita inexperiência, e o sexo é bastante cúmplice do amor... ao passo que uma mulher conhece toda a extensão dos sacrifícios que tem a fazer. Lá onde uma é arrastada pela curiosidade, por seduções estranhas à do amor, a outra obedece a um sentimento consciente. Uma cede, a outra escolhe... dando-se, a mulher experiente parece dar mais do que ela mesma, ao passo que a jovem, ignorante e crédula, nada sabendo, nada pode compara nem apreciar... Uma nos instrui, nos aconselha... a outra quer tudo aprender... Para uma jovem seja amante, precisa ser muito corrompida, e então é abandonada com horror, enquanto uma mulher possui mil modos de conservar a um tempo seu poder e sua dignidade... A jovem... acredita Ter dito tudo despindo o vestido; mas uma mulher... se esconde sob mil véus... afaga todas as vaidades... Chegando a essa idade, a mulher sabe consolar em mil ocasiões em que a jovem só sabe gemer. Enfim, além de todas as vantagens de sua posição, a mulher de trinta anos pode se fazer jovem, desempenhar todos os papéis, ser púdica e até embelezar-se com a desgraça"

Ah, nem hj nem nunca vou deixar de ser uma "molécula" - Uma menina muito sapécula...hahaha

3 comments:

Marcos Araujo said...

Eu é q sou feliz de estar com essa "molécula" e poder conhecer o universo. Ou pelo menos o planeta em que vivemos. Existem momentos em q estamos juntos e (é sério) sou capaz de sentir a Terra se mexendo. Sem essa "molécula" meu mundo não existiria ou se existisse não teria sentido. Tentando explicar: é como se eu fosse um barco numa noite de tempestade e ela o farol; como se eu fosse um pássaro recém-nascido e ela o ninho; é como se eu estivesse perdido no meio do deserto é ela é o oásis. Obrigado, minha pequena, por ser que vc é e por compartilhar isso comigo. Como já lhe disse antes, fico feliz de poder viver com vc essa sua nova fase; de poder estar presente e ver vc florescer. Amo muito vc! Parabéns!

Fabi said...

Faaaaaaaaaaala aí, minha amiga Balzaquiana! Agora vc está mais parecida comigo, trintona !!!!!Jan, minha amiguécula, o que nos encanta em vc é essa sua alegria, essa vontade de viver e de ser feliz, que nos contagia, nos inunda de esperança e te transforma num exemplo maravilhoso. Dia 10, como vc sabe, eu estava sem computador, mas não esqueci da minha irmã ruiva, uma das pessoas mais importantes que já se mostraram pra mim. Me orgulho quando me identifico com vc, principalmente quanto à genial definição de pessoa "rústica", que toda vez que ouço ou leio me vejo como vc, nos vejo juntas, nos divertindo, à nossa maneira. Mesmo longe quero te dar um abraço apertado, um beijo enorme e dizer que vc ilumina a todos que tiveram o imenso privilégio de te conhecer! Te amo muito e quero estar perto quando vc e o Má completarem o tempo necessário para o cadeado de vcs! Obrigada por tudo, principalmente pelo seu carinho e atenção. Me sinto realmente lisonjeada por ter sido uma das pessoas escolhidas por vc, nessa estrada, em quem vc depositou alguma esperança. Siga em frente, nos dando esse exemplo de que a Vida é Bela e fazendo nosso amigo (e a nós) muuuuuuuito feliz!

Janaina Frizzarin - "Janet" said...

Ai Fabi, o pior é apesar de saber q vc chegou lá primeiro sempre considerei vc minha irmanzinha caçula...hahaha. Afinal vc sempre vai ser a mais magrela!

Justiça seja feita, a definição de "Rústica" devemos a esposa do Pai, Emília, uma mulher iluminada!

É mesmo muito engraçado como a gente é igual, e como em tão pouco tempo vc se tornou uma pessoa tão especial na minha vida. Tb Amo vc, morro de saudades. Se pudesse trazia vcs pra cá hj mesmo!
Ah, aliás, a vida é bela afinal tenho vc como alma irmã e o Má como alma gêmea! Beijocas infinitas